Notícias

03.09.2019

Mundial Sênior: equipe da ABGS conquista mais três títulos nas chaves de Match Play

premiados-no-mundial-silvio-sandra-ivete-douglas-e-mauricio-650

Brasil já havia sido vice-campeão com handicap na fase de jogos por equipes, entre outros bons resultados

 

 

Premiados na cerimônia final do Mundial Sênior: Silvio, Sandra, Ivete, Douglas e Mauricio. Fotos: Claudia Celli

 

 

Depois de estrear com como vice-campeão do Mundial Sênior, os World Golf Senior Championships – 2019, nos campos Champions e Legends, do Omni La Costa Resort and Spa, em La Costa, Carlsbad, na Califórnia (EUA), a equipe da Associação Brasileira de Golfe Sênior, que representou o Brasil na competição, encerrou sua participação no maior evento do mundo para jogadores com 55 anos ou mais conquistando mais três títulos nas chaves individuais de Match Play, que fecharam o evento com duração de uma semana. Todos os jogadores que representam o Brasil nesse torneio arcam com todas as suas próprias despesas.

internasO destaque dos jogos individuais de match play foi Silvio Cecin, campeão de uma das chaves principais do Mundial, a Tutt Flight. O Brasil também venceu outras duas finais, em chaves de consolação, com Douglas Black sendo campeão da Evans Flight, e Maurício Ferreira ganhando a Brinton Consotation Beaten 4’S, essa numa final só brasileira, contra Rodolfo Santos.

Veja as fotos da premiação

O Brasil foi homenageado ainda através de Sandra Cecin, mulher de Silvio, escolhida pela organização, entre representantes de 13 países, para receber um troféu símbolo da amizade carinho e admiração com o torneio. E comemorou ainda o terceiro lugar de Ivete, esposa do Rodolfo, terceira colocada na competição das damas acompanhantes

Vitórias – Silvio foi campeão da Tutt Flight estreando com uma vitória por 6 & 4 sobre o americano Butch Turner. No segundo dia, o jogo mais difícil, contra Der Tu, de Taiwan, que ele só derrotou no 18 (2 up). No terceiro dia, Silvio passou por Shogo Yamada, do Japão, por 6 & 5 e, na final, derrotou o colombiano Luis Barona por 4 & 2. Douglas venceu sua final contra John Jackson, por 3 & 1, enquanto na final só de brasileiros, Maurício derrotou Rodolfo por 6 & 5.

No primeiro dia, dos jogos de Match Play, Frederic Cadier, cabeça de chave 16, eliminou o favorito Nigel Mansel por 5 & 4 no Maytag Championship, outra das chaves principais. Cadier perdeu na rodada seguinte para Kevin Tynessta, por 4 & 3, mas comemorou o fato de ter sido esta a primeira vez em cinco anos que um brasileiro ganha do ex-campeão mundial de Fórmula-1, diversas vezes campeão mundial sênior de golfe.

Equipes – O time do Brasil vice-campeão mundial de stroke play com handicap, na primeira fase do evento, foi formado por Valter Tonini, Douglas Black, Frederic Cadier, Mauricio Ferreira e Silvio Cecin, que também foi o capitão da equipe. O Brasil também fez bonito nas competição individuais, por idades, com handicap. Na 55 a 59 anos, Douglas Black ficou em terceiro, com 145 (70-75) tacadas. O campeão foi Eddie Burns, de Jersey, com 138 (64-74), seguido pelo colombiano Roberto Caridi, com 145 (72-73). Na 60 a 64 anos, Silvio Cecin empatou em terceiro, com 142 (71-71) tacadas, grupo em que venceu o uruguaio Júlio Forcade, com 137 (67-70).

Outros bons resultados do Brasil vieram na 65 a 69 anos, onde o uruguaio Miguel Balles ficou em primeiro com 134 (69-65), seguido por dois jogadores da ABGS: Valter Tonini, vice-campeão com 139 (64-75), graças ao melhor net do torneio na volta de abertura; e Rodolfo Santos, terceiro colocado com 140 (73-67).

Compartilhe:

próximos Torneios