Notícias

18.02.2019

Paul O’Doherty conquista o título de campeão Latino-Americano Sênior para o Brasil

todos-os-trofeus-650

Equipe da ABGS trouxe ainda outros cinco troféus do torneio disputado no Panamá, Veja fotos

 

Veja, abaixo, mais imagens da premiação. Fotos: Claudia Celli

 

Depois de três anos sem competir, o Brasil voltou ao Campeonato Latino-Americano de Golfe Sênior com força total, conquistando seis troféus – dois por equipes e quatro individuais -, com destaque para o título de Paulo O’Doherty, do São Paulo GC, que foi o campeão geral individual ao vencer a categoria scratch da competição disputada de 12 a 15 de fevereiro, no campo do Hotel Santa Maria & Golf Resort, na Cidade do Panamá. A competição teve sua rodada de abertura na terça-feira, 12, e as duas rodadas finais quinta e sexta-feira, 14 e 15, após um dia livre para passeios.

O Brasil competiu com uma delegação de 25 jogadores da Associação Brasileira de Golfe Sênior (ABGS), chefiada por Claudio Kiryla, presidente da entidade, e capitaneada por Mauricio Ferreira, do Morro Chapéu. Eles juntaram forças com a nova equipe de diretores da entidade, que comemora 40 anos em 2019, para recolocar, com sucesso, o golfe sênior do Brasil em destaque no cenário internacional.

Campeão – Paul O’Doherty, o brasileiro de handicap índex mais baixo em campo (1,7) venceu a competição gross, na modalidade stableford, com 90 (32-27-31) pontos, de virada e nos critérios de desempate, superando Roberto Caridi, da Colômbia, que também somou 90 (32-29-29), mas jogou pior no último dia. Fred Cadier, também do São Paulo, foi outo destaque ao terminar em 16º lugar entre 168 participantes, seguido por Delpho Pelosini, do Guarujá, 18º colocado, e por Claudio Pedone, do São Paulo, e Kouchi Yui, do Londrina, que empataram em 23º.

Delpho foi ainda o vice-campeão geral com handicap ao somar 120 (43-40-37) pontos, perdendo por apenas dois para o argentino Alberto Holgado, que fez a maior pontuação da competição na volta final e venceu com 122 (35-39-48) pontos. Pedone e Rodolfo Janeli, do São Paulo, foram os outros destaques net do Brasil, empatados em 22º lugar.

Outro resultado de destaque foi a vitória de Rodolfo Santos, do São Paulo, campeão com handicap na Categoria C (índex de 13,6 a 18,8), com 111 (35-36-40) pontos, dois à frente do mexicano Luis Peralta, o vice-campeão, com 109. Esses troféus não eram acumulativos com os resultados gerais gross e net e com as categorias gross. E as mulheres também brilharam com Ivete Chemin, do Graciosa, sendo vice-campeã no Feminino geral gross.

Equipes – A competição por equipes foi disputada por 17 times, sendo que cada país podia inscrever duas equipes completas de 16 jogadores cada. A campeã geral foi a equipe da Colômbia, que venceu com 181,5 pontos, 35 de vantagem sobre o segundo colocado. O Brasil terminou em quinto lugar no geral, com 126,5 pontos, apenas 9,5 pontos atrás do vice-campeão.

O Brasil foi campeão net por equipes em duas categorias (quatro jogadores por equipe): na B (8,4 a 13,5), jogando com Claudio Pedone; Frank Wisbrun; Jose Neves, do Goiânia; e Mauricio Ferreira; e na C (13,6 a 18,8), com Delpho Pelosini; Fabio Sallum, do Graciosa; Ramon Santos, do São Paulo; e Rodolfo Santos.

Importância – Mauricio Ferreira ressalta ainda a importância da presença expressiva das esposas dos competidores brasileiros no Latino-Americano. “Elas não só tornaram nossa participação mais graciosa, mas também foram uma fonte permanente de estimulo para todos os jogadores”, garante o capitão. Kiryla, por sua vez, lembra que não só os premiados, mas todos os participantes foram fundamentais. “Todos ajudaram a levar o nome do Brasil seis vezes ao pódio num ano tão especial, com este em que comemoramos 40 anos de nossa entidade”, diz o presidente da ABGS.

Kiryla ressalta também que 40 anos é a idade mínima para fazer parte da ABGS, começando na categoria pré-sênior, que vai até os 54 anos. “Só fazendo parte de uma família como a nossa é que se pode ter a exata noção da importância do golfe sênior para a vida da cada um”, diz Kiryla. “O golfe sênior traz alegrias, novas amizades, propicia viagens incríveis como essa e ainda contribui decisivamente para a saúde física e mental”.

As próximas edições do Latino-Americano Sênior serão realizadas no México, em 2020; no Paraguai, em 2021; e possivelmente no Brasil, em 2022.

internas-abgs

Compartilhe:

próximos Torneios