XXXVIII Campeonato Sul-Americano de Golfe Sênior 2015 - Curitiba - Brasil

Sul-Americano Sênior: Brasil melhora, mas não o suficiente

Chile é o novo líder no individual e por equipes, com Colômbia em segundo. Brasil ainda vem em terceiro
 
Fotos em alta definição para uso editorial ou pessoal: www.flickr.com/photos/abgsgolfe
Resultados completos: http://www.abgs.com.br/sulamericano/resultados.php
Horários de saída: http://www.abgs.com.br/sulamericano/horario_saida.php
 
 
Os jogadores do Brasil melhoraram em relação à estreia, nesta quinta-feira, na segunda rodada do 37º Campeonato Sul-Americano de Golfe Sênior, mas não conseguiram diminuir a diferença para os líderes, o que complicou as chances do país sede de disputar as medalhas de ouro na competição scratch individual e por equipes (Copa Chile), que terminam nesta sexta-feira no Clube Curitibano, em Quatro Barras, onde jogam os golfistas com handicap até 18. Os jogadores das categorias de 19 a 24 e de 25 a 36 disputam suas categorias no Alphaville Golfe Clube, em Pinhais. Os dois clubes ficam a sete quilômetros um do outro, na Região Metropolitana de Curitiba, no Paraná.
 
No individual, o chileno Mihaly Geyger, vice-líder da véspera, jogou o par do campo para assumir a liderança do torneio com 146 (74-72) tacadas, duas acima do par, num dia que começou com garoa fina e vento, e terminou ensolarado e quente. Geyger tem agora cinco tacadas de vantagem sobre o colombiano Alfredo Morales, líder da véspera, que soma 151 (72-79). Roberto Gomez, do Brasil, que defende o título individual ganho em 2014, na Argentina, melhorou duas tacadas em relação à véspera, mas começou e terminou o dia em terceiro, com 154 (78-76). 
 
Um grupo de 12 jogadores classificados a seguir, da quarta à 15º posição, está separado por apenas cinco tacadas, todos com chances de ainda lutar por um terceiro lugar ou um menos provável vice-campeonato. Entre eles estão quatro colombianos: Alfonso Villamizar e Guilhermo Ramirez, que estão empatados em quarto, com 157; Luis Sardi, sexto, com 158; e Diego Morales, sétimo, com 159, empatado com o chhileno Felipe Taverne e com o uruguaio Gregor Schmidt. Carlos Cândido, em 10º, com 160 (79-81) é o segundo melhor brasileiro, seguido por Arlindo Brun (83-78) e José Bianeck (82-79), que vêm empatados em 11º, com 161.
 
Equipes - O Chile também é o novo líder por equipes, desta vez com Geyger e Taverne pontuando para a equipe somar 305 tacadas. A Colômbia, líder da véspera, caiu para segundo com 307, num dia em que três jogadores - Diego Morales, Sardi e Villamizar - jogaram 78 e garantiram os dois resultados válidos do time. O Brasil ainda vem em terceiro, com 311, com Gomez (76) e Brun (78) pontuando para o time. O Uruguai vem em quarto, com 324, seguido por Peru, com 346.
 
Na classificação individual gross para o grupo de jogadores com handicap até 9, as três primeiras posições da geral se repetem, mas na de 10 a 18 o Brasil domina, com seis jogadores no topo do placar: Ronald Gunn (162), Koichi Yui (167), Jacirlei Santos (170), Cosme Gomm (171), Paulo Kokubo (172) e Silvio Cecin (172). Na classificação por handicaps, o destaque brasileiro é Gunn, segundo na até 18 e líder na 10 a 18. Nas classificações por idade desse grupo, os destaques do Brasil são Cecin e Yui, segundo e terceiro, na 55 a 59 anos; Yoshihiro Miyamura, líder, e Kokubo, terceiro, na 65 a 69; e Gunn, líder, e Gomm, terceiro, na 70 a 74.
 
Alphaville - Nos jogos do Alphaville, o Brasil só vai lutando por medalhas em duas categoria por idade da 19 a 24, com Mauro de Avilla, terceiro na 55 a 59 anos; e Satoshi Kurita e Shiro Watanabe, segundo e terceiro na 75 anos ou mais. Na 15 a 32, jogada no sistema stableford, o Brasil tem Gionani Gionedis na liderança, com 80 pontos, e alguns destaques por idade: Walter Souza, segundo na 55 a 59 anos; Gionedis, líder, e José Waihrich, segundo, na 60 a 64; e Faruk El Khatib, segundo na 65 a 69.
O Sul-Americano Sênior termina nesta sexta-feira com a terceira rodada de todas as categorias, nos dois clubes. Além da principal competição por equipes, a Copa Chile, há a disputa de outras sete taças por equipes, sendo quatro por sede no total. Ao todos, serão distribuídas mais de 80 taças entre os participantes, sendo que algumas não são acumuláveis. Os prêmios serão entregues durante o jantar de encerramento que será feito na noite desta sexta-feira, na sede social do Clube Curitibano, em Curitiba.
Patrocinadores - O 37º Campeonato Sul-Americano de Golfe Sênior tem patrocínios da Heineken, Azul, Brisa Viagens, Carrér Agrícola, Casteval, Copelmi Mineração, Enagic, Ecco Salva Emergências Médicas, G. Pareto Empr. Imobiliários, Golf Travel, Grupo Ottaiano, HKL, Marriott Vacation Club, Mili, Morhena, MS Logística, Nilko, Nutrimental, Nomaa Hotel, Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Panvel Farmácias, Grupo Poliservice, Solid Gold Turismo, Terrana, Vitória Hotéis, Villa Roberti, Vonpar, Wish Hotéis e Resorts e Zahil.
 
A competição é organizada pela Associação Brasileira de Golfe Sênior (ABGS), com apoio do Alphaville Graciosa Clube, do Clube Curitibano e do Graciosa Country Club, com supervisão da Federação Sul-Americana da Golfe Sênior. A organização é da Eagle Sports, Compare, HKL e Golf Travel.

Realização

Associação Brasileira
de Golfe Sênior

Organização

Patrocinadores